Mulheraço Maio Amarelo: Evento na Metronorte JK faz alerta sobre trânsito

Adriana Pontin organiza evento que alia a homenagem no mês das mães e a conscientização no trânsito

Mulheraço-Metronorte-páginas-002.png

Resolver um probleminha corriqueiro que surge no carro; ou poder estar atenta na hora de levar o veículo para a oficina. Dicas básicas de mecânica vão ser passadas para mulheres, em um bate papo descontraído na Metronorte JK, no dia 29 de maio, a partir das 19h30.

“A ideia surgiu como homenagem ao mês das mães. E já que maio é também o mês da campanha nacional Maio Amarelo, de conscientização para os perigos do trânsito, decidimos lincar tudo e realizar esse encontro junto com o Projeto Mulheraço”, explica Vilson Bassetto, diretor de operação da Metronorte. Por isso, as convidadas também vão receber informações sobre o trânsito, desde a legislação até alertas sobre direção defensiva, para prevenção de acidentes.

Adriana Pontin lembra que “o tema da campanha em 2019 tem tudo a ver com o projeto MULHERAÇO, criado com a proposta de oferecer oportunidades que inspiram mulheres a se desenvolverem e se tornarem uma versão melhor delas mesmas”. O slogan deste ano é: “No trânsito, o sentido é a vida”, por isso a diretora de negócios complementa: como as estatísticas indicam, as mulheres são mais prudentes e menos agressivas ao volante. E também podem inspirar nesse sentido da vida!” Para tratar desse assunto, convidamos também a psicóloga especialista em trânsito Patricia Emi.

O MULHERAÇO MAIO AMARELO vai receber as mulheres com um delicioso coquetel. E na ocasião, os novos modelos GM também vão encher os olhos das participantes. Vilson Bassetto já adianta: “queremos que esse seja o primeiro de muitos eventos como esse. O MULHERAÇO MAIO AMARELO já entrou para o calendário anual da Metronorte!”

Dia do Trabalho: o que há de novo no mercado?

No contraponto dos 13 milhões de desempegados, é possível exaltar os quase 52 milhões de empreendedores no Brasil, um caminho para prosperar no mercado de trabalho

 

FEED-ADRIANA-ROXO02.png

O Dia do Trabalho (ou do Trabalhador) vem sendo comemorado em muitos países do mundo desde o século XIX, na data que marcou uma grande greve promovida pela classe operária, na luta por direitos. O movimento paralisou parques industriais na  Chicago de 1886. Houve forte repressão policial e uma sequência de eventos tensos nos dias seguintes. O 1º de Maio virou feriado, inclusive aqui no Brasil República e motivo de festas entre trabalhadores, fomentadas por centrais sindicais,  até hoje.

Em cada feriado, lembra-se da luta. Mas, se historicamente a classe trabalhadora brigou por melhores salários e condições de exercer a função, atualmente, a batalha de milhões é de conseguir inicialmente um emprego. Mais precisamente,  13 milhões de brasileiros, ainda fora do mercado de trabalho, buscam um espaço nesse “sol”, num índice anual que pode fechar 2019 acima de 12%, quando a média mundial é de 5%, de acordo com a Organização Internacional do Trabalho (OIT). 

Embora o cenário se apresente aparentemente negativo, existe uma outra vertente ativa, que também cresce como tendência inovadora e não está ligada apenas à necessidade de criar alternativa pela falta de uma vaga no mercado formal. O abrir o próprio negócio, o arriscar-se em mundos inicialmente desconhecidos, o encorajar-se a buscar um novo caminho, enfim, o Empreendedorismo se coloca como oportunidade real para um futuro promissor.

Um levantamento  feito em 49 países, e no Brasil,  coordenado pelo Instituto Brasileiro da Qualidade e Produtividade (IBQP), em parceria com o Sebrae, apontou o crescimento. Hoje, de cada cinco adultos, dois são empreendedores, e correspondem a quase 52 milhões de pessoas. Os jovens são em maior número. Porém, pessoas mais velhas até a terceira idade vêm despertando para essa nova possibilidade. Empreender por necessidade de sustento ainda significa o maior número de negócios com essa característica. Mas cresce também a quantidade de iniciativas postas em prática apenas por enxergar soluções e um bom nicho de mercado junto.

Ter criatividade, arrojo e espírito inovador estão entre as característica do empreendedor. E talvez nesse feriado, alguém assim esteja se fazendo a pergunta: como eu posso sair dos 13 milhões para me tornar um dos 52 milhões? Uma das respostas: Apostar em áreas que estão em alta, como agronegócio, saúde e cidades inteligentes, manter a visão no futuro para enxergar o que ninguém ainda enxergou, trilhar o conhecimento, perseverar… E sempre, sempre… Acreditar em você!

 

Mulheraço no Guest – Paulina Campos

Empresária londrinense, que vive no Espírito Santo, empreendeu em Londrina e criou o Tsuru Centro de Eventos

 

Maria Paulina Campos tem no olhar a mesma força que profere em palavras: “Com paixão, tudo dá certo e não dá trabalho, não cansa”. Numa história de vida cheia de batalhas vencidas, a arquiteta e empresária estabelecida hoje no Espírito Santo, ainda mantém estreito vínculo com Londrina, cidade onde vive a família dela até hoje.

 Junto com o marido, é proprietária do Tsuru Centro de Eventos. O empreendimento fica na zona norte de Londrina, num terreno que a família possuía há mais de 20 anos. No início, era para ser um centro de distribuição. A ideia de fazer do espaço um local de festas foi da sogra de Paulina: Por que não? Com muita pesquisa, o projeto se tornou realidade e sedia eventos diversos numa região antes carente de um local de alto padrão como esse. 

A empreendedora tem muito do significado de Tsuru, a ave oriental, que simboliza paz, longevidade, sorte, prosperidade, felicidade, esperança, realização dos sonhos, carinho, gratidão e gentileza. E ela, “mulher brasileira e guerreira, também faz parte do rol dos MULHERAÇOS, que faz parte do quadro Mulheraço no Guest, com Sara Presoto, que vai ao ar todas as quartas-feiras, às 22 horas, com reprises aos sábados.

Clique no link e assista!

Mulheraço no Guest – Flavia Cabral

Com múltiplas funções no ramo da educação, a professora Flávia Cabral se tornou empreendedora e fundou o Curso Saber há quase 15 anos em Londrina

Ela é filha de uma diretora de escola que se apaixonou pela educação. Descobriu nessa área mais que a possibilidade de ensinar pessoas, descobriu que é possível empreender. Flávia Cabral é professora e empresária, fundadora da Escola Saber, e ainda educadora do Curso Sigma, supervisora de produção de texto no Colégio Universitário, autora de material didático, e “uma pessoa feliz”, nas palavras dela.

O Curso Saber nasceu de uma necessidade do pré vestibular, quando as provas passaram cobrar matérias específicas. “Nós criamos um um curso preparatório de específicas. Depois, percebemos que havia um nicho de mercado na área de concursos públicos. E assim o Saber se consolidou em Londrina, ao longo de quase 15 anos”, relembra Flávia. A empresa se tornou referência nos cursos presencias, na preparação para concursos, hoje atuando também no preparo para o exame da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), e continua crescendo, segundo a empreendedora, “não sabe até quando”. 

Prova disso são os novos projetos, com formação de empreendedores sociais, um dos focos do momento, e o processo de transformação do Saber em uma startup. Somado ao fato de Flávia ser mãe, esposa e extremamente sorridente, a palavra MULHERAÇO cabe como uma luva nessa personagem do quadro Mulheraço no Guest, da TV Tarobá, com Sara Presoto, que vai ao ar todas as quartas-feiras, às 22 horas, com reprise aos sábados!

Clique no link e assista!

Larissa Ramos: um transplante duplo e uma vida nova!

EM HOMENAGEM AO MÊS DA MULHER – PERFIL PROFISSIONAL

ELAS FAZEM E ACONTECEM

 

A luta pela vida  e a vitória após receber um rim e o pâncreas se transformaram numa causa dessa advogada que renasceu

 

031.png

A Larissa Ramos de hoje, de 38 anos, é advogada, saúde perfeita, com rins e pâncreas funcionando 100%. Mas por 25 anos foi diabética, doença causada pela falta de insulina,  produzida pelo pâncreas. E ao fazer uma cirurgia plástica, descobriu que também era portadora de doença renal, que se caracteriza pela perda de capacidade dos rins. Larissa entrou na fila do transplante e realizou o procedimento em 2016, o que representou o divisor de águas na vida dela.

“Foi um transplante duplo e deu tudo certo”, lembra. “O transplante foi um renascimento, não tenho mais diabetes nem doença renal!” Apesar da nova fase cheia de saúde e felicidade, algo dentro de Larissa ficou latente. E ela passou a militar na causa para incentivar a doação de órgãos. Como advogada, cuida gratuitamente de toda parte jurídica de transplantados e pré transplantados. E como ser humano que sentiu na pele todo esse drama, também luta para o convencimento de famílias que perderam entes queridos a fazer a doação. “Ainda  dou palestras sobre superação para pessoas que estão na fila do transplante ou para aquelas que acabaram de fazer, contando minha própria história.”

A conscientização sobre a doença renal é outra grande batalha dessa mulher de garra, “um tema pouco conhecido ainda da população” e que a advogada procura dar visibilidade. Larissa também faz parte do projeto Gotas de Vida, que incentiva a doação de sangue. Formas que ela encontrou depois de passar por tantos desafios na vida. “Vi o quanto as pessoas necessitavam de apoio, ajuda e conscientização para essa causa!”

A especialista em direito público com ênfase em gestão pública, e direito tributário e eleitoral, segue a vida com plenitude trabalhando no Núcleo de Práticas Jurídicas da Faculdade Pitágoras. E inevitavelmente inspira com toda fé expressa na seguinte frase: “Deus me escolheu para conhecer essa causa da maneira mais profunda que existe! Me fez doente, para sentir na pele todo o sofrimento, depois me curou! E me disse: Vai! Vai ser a voz daqueles que não tem e precisam!”