Dia do cliente: não se esqueça de conquistá-lo hoje!

Se sua marca não pensou em usar a data como estratégia para se aproximar de seu cliente, perdeu a oportunidade para engajar e… aumentar as vendas!

AP SET 09.png

Desde 2003, 15 de setembro é o Dia do Cliente, data criada por um especialista em Marketing e Recursos Humanos do Rio Grande do Sul, João Carlos Rego.  Se o objetivo foi homenagear  e estreitar as relações, o dia também passou a ser estratégico para melhorar a imagem perante os clientes, evidenciar produtos e serviços, movimentar as vendas.

Você pensou nisso este ano? Já falamos muito aqui sobre o poder das datas comemorativas. Elas – de fato – contribuem para aquecer a economia, incentivando o consumo de forma positiva. Se você se preparou, parabéns! Pode ter um bom faturamento com a data e aproveitar para fidelizar seu cliente. Afinal, ele é a chave para o sucesso do seu negócio. Se não se atentou, que pena. Criar estratégias que valorizem e engajem o cliente são as maiores aliadas para estimular as vendas.

Considerando que em setembro, não há datas comemorativas tradicionais, como os próximos Dia das Crianças, Black Friday e Natal, o Dia do Cliente tende a crescer como um mote para promoções e descontos exclusivos nesse mês, além de propiciar outras ações atrativas, nesses tempos de crise.

Como dica de última hora (sempre dá tempo): use o conteúdo para engajar! Mimar seu cliente, nem que seja com um “gif” super simpático nas Redes Sociais é uma forma de fazê-lo sentir querido pela sua empresa. Mostre a importância que ele tem, aproxime-se dele, interaja. Use uma linguagem mais informal e direta, e se precisar, estamos aqui!

A Excelência Mkt & Eventos conta com uma equipe especializada, capaz de produzir conteúdo de qualidade para sua marca, além de todo planejamento estratégico para que no ano que vem você não perca uma oportunidade sequer de aproveitar uma boa data como essa de hoje!

SERVIÇO:

EXCELÊNCIA MKT & EVENTOS

ENDEREÇO: R. Pref. Hugo Cabral, 167 – sala 04

FONE: (43) 99962-6687

E-MAIL: contato@adrianapontin.com.br

 

Independência do Brasil: porquê nunca esquecer esses quase 200 anos

A data – bem mais que um feriado – é um marco histórico brasileiro, e traçou os novos rumos da nação até hoje

AP SET 07.png

A Independência do Brasil – que deixou de ser colônia de Portugal em sete de setembro de 1822 para ser uma nação soberana – completa hoje 197 anos. Importante data como marco histórico, traçou o futuro do país, que começou a criar a nacionalidade brasileira.  E será sempre motivo de ser devidamente lembrada, embora nas ruas, tantas vezes, a população saiba do feriado, mas não se  recorde do motivo dele.

Às margens do riacho Ipiranga, a independência de Portugal teria sido proclamada pelo príncipe regente,  Dom Pedro, rompendo politicamente com o Império Português. O ato em si é colocado em dúvida por muitos historiadores, mas o fato não se questiona. E foi resultado de um processo que durou anos, tendo início quando Dom João VI,  rei de Portugal, pai de D. Pedro, chegou ao Brasil em 1808. Diz a História, ainda, que a esposa de D. Pedro,  Leopoldina, no dia 02, juntamente com ministros, decidiu pela separação definitiva entre Brasil e Portugal, assinando então a declaração de independência. A carta foi enviada ao marido, em viagem a São Paulo, que a leu, deu o grito e oficializou a ruptura.

De imediato, a independência brasileira proporcionou o início da organização do Estado,  mas pouco trouxe de mudanças profundas no quadro político e social do país. Houve conflitos posteriores de resistência, mas que não alteraram o novo status. A primeira Constituição genuinamente brasileira foi criada dois anos depois, em 1824. E veio também uma grande dívida, já que o Brasil teve que pagar dois milhões de libras como indenização aos portugueses por essa “tal independência”.

Nos rumos da história, outras constituições e dívidas vieram, até depois que a nação se tornou República em 1889. Chegar aos dias atuais com a missão de refletir sobre seu passado, é também fazer dos erros, futuros acertos.

Setembro Verde – A cor para conscientizar sobre Doação de Órgãos

Durante todo mês, ações se multiplicam para abordar o tema da doação e do transplante de órgãos, com números crescentes no Paraná e no Brasil

SETEMBRO VErde 1.png

Nos meses de muitas cores, o setembro ganha tons esverdeados numa bandeira mais que brasileira: a campanha  sobre doação de órgãos é uma luta mundial! Nas terras verdes e amarelas, ganhou um dia para marcar na agenda: 27 de setembro, Dia Nacional de Doação de Órgãos, de acordo com o calendário do Ministério da Saúde. E no mês todo, muitas ações para quebrar tabus, informar e conscientizar. Os resultados chegam em números.

“O Brasil é referência mundial na área de transplantes e possui o maior sistema público do mundo”, ressalta o site do Ministério, que reforça”: “Atualmente, cerca de 96% dos procedimentos de todo o País são financiados pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Em números absolutos, o Brasil é o 2º maior transplantador do mundo, atrás apenas dos EUA. Os pacientes recebem assistência integral e gratuita, incluindo exames preparatórios, cirurgia, acompanhamento e medicamentos pós-transplante, pela rede pública de saúde.”

O Paraná multiplicou por cinco o número de doações em dez anos (2008 – 2018), mas o desafio ainda é grande.  44% das doações são efetivadas com o transplante e as negativas das famílias ainda representam quase um terço (27%), do total  de possíveis doadores. Para ajudar a mudar essa estatística, uma das iniciativas partiu de Adriana Pontin, diretora executiva da Excelência Mkt & Eventos a partir de 2013, à pedido da OPO Organização de Procura de Órgãos de Londrina.

“Juntos com a OPO, fizemos uma exposição de fotos, “Doar Faz Bem ao Coração”,  e reunimos pacientes que estavam na fila de espera e receberam o transplante, e familiares que autorizaram a doação”, lembra. A abertura foi no Shopping Catuaí, em setembro daquele ano, alusiva à campanha Setembro Verde, com fotos assinadas por Kely Sciena. “De lá para cá, não paramos mais!” Adriana ainda realiza diversas ações entre palestras, rodas de conversas, caminhadas e corridas, desfiles, seminários, tudo em prol da conscientização sobre a importância de autorizar e manifestar em vida a vontade de ser um doador de órgãos e tecidos.

Fale sobre isso – Converse com sua família e deixe-os cientes do seu desejo de ser um doador de órgãos e tecidos. A autorização só pode ser feita pela sua família, por isso é tão importante que você converse com seus familiares! Doação de órgãos é salvar vidas!

 

 

Semana Nacional do Excepcional ressalta importância da família

Com ações realizada pelas Apaes de todo país, Semana pretende conscientizar sobre envolvimento da família para lutar por políticas públicas a pessoas com deficiência

 

21002.png

A Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla ou do Excepcional abre mais um ciclo de debates 2019, que passam por temas sempre atuais, como igualdade e inclusão. De 21 a 28 de agoto, a Federação Nacional das Apaes, promove ações de incentivo nos municípios brasileiros, para mobilizar a sociedade diante da reflexão, que ganhou força com a Lei 13.585 de 26 de dezembro de 2017, que institui a Semana.

O tema de 2019 é  “Família e pessoa com deficiência: protagonistas na implementação das políticas públicas”, com várias estratégias de mobilização, e reforça a importância da participação da família, em todos os processos de vida se seus filhos. seja educacional, de desenvolvimento, de habilitação e reabilitação, e demais projetos como na gestão das Apaes.

A Semana Nacional pretende, portanto, disseminar bandeiras necessárias para a implementação de políticas públicas no Brasil, que garantam direitos sociais e o acesso à formação cidadã da pessoa com deficiência. Desde a criação de programas escolares e outras ações que garantam autonomia e valorizem as competências e habilidades desses especiais sujeitos da sociedade.

Dia Mundial da Fotografia: o extraordinário invento que deixou a humanidade eterna e o Marketing mais atraente

A fotografia foi oficialmente criada em 1839, como intenção de vários autores, que possibilitaram o sonho de eternizar imagens,  fascinando olhares e facilitando a vida da propaganda

FEED-ADRIANA-AGOSTO.jpg

Congelar o que os olhos vêem. Pegar uma imagem, guardar, e – sendo eterna – visualizar quantas vezes, por quanto tempo e por quantas pessoas forem possíveis… Se parecia sonho em tempos remotos, passou a ser  busca ao longo da História. Até que, de autores a autores, de aprimoramento de processos, avanços tecnológicos e com princípios da química e da física,  chegou-se a uma invenção das mais fascinantes da humanidade: a fotografia.

A fotografia é, por definição, “a técnica de criação de imagens por meio de exposição luminosa”. Imagine isso no século XIX, algo que não se limitasse à pintura em telas de artistas. A invenção (que, como dito, teve precursores antes) foi considerada oficialmente criada em 19 de agosto de 1839, em Paris, na Academia de Ciências da França. Jean Jacques Mandé Daguerre batizou o ‘invento’ como Daguerreótipo, embora em 1826, outro francês, Joseph Nicéphore Niépce já tinha criado a héliographie, aliando o princípio da “câmara obscura” (empregada por artistas desde o século XVI, entre eles Leonardo da Vinci) à característica fotossensível dos sais de prata.

Desse início revolucionário, a fotografia teve o poder de transformar a cultura, a sociedade, as artes e o mundo em si. Aprimorou-se, chegou às câmeras para amadores e à era digital, alcançando democraticamente mãos incontáveis até o presente. Com celulares sempre a postos, a humanidade capta e eterniza o que os olhos ainda vêem.   E até o futuro, não se imagina que algo tão extraordinário vá deixar de existir.

Ao Marketing, restam muitos aplausos à invenção fantástica. Uma fotografia, arte por si só, mensagem acima de tudo, tem o poder da comunicação pura e plena, que seduz ao primeiro olhar, e outros sentidos em  seguida, que captam a intenção até chegar ao racional cérebro decodificante. A imagem vale… quantas palavras? É ela capaz de propagar conceitos, definições, intenções, informações, belezas, instigar a imaginação. E antes de tudo, um deleite para os olhos. Simples assim.