Galeria André Sell dá boas vindas com muita arte na entrada da MAI 2019

Arquiteto com quase 40 anos no traçado contemporâneo em Londrina participa da Mostra de Arquitetura e Interiores, transformando o espaço de entrada de visitantes em uma galeria de arte

O espaço de acesso ao público transformado em arte – 90 metros quadrados com ares de galeria, com participação de artistas plásticos locais, onde os visitantes vão poder apreciar cada cantinho, conferir nomes e performances, respirar cultura, fazer selfies, mais do que simplesmente comprar o ingresso e entrar. Para esse desafio, um grande nome da arquitetura londrinense – André Sell, que batiza também a galeria, o primeiro ambiente a ser visto, logo na chegada do público na MAI – Mostra de Arquitetura e Interiores 2019, que acontece de 12 de novembro à 16 de dezembro de 2019.

André é formado em arquitetura e urbanismo pelo Rio de Janeiro, e há 30 anos veio para Londrina, “por um desses acasos do destino, quando peguei um projeto aqui, que me derivou para outros projetos e nunca mais fui embora”, conta. Com quase 40 anos de atuação profissional, a relação do arquiteto com a cidade inclui a experiência como professor na graduação da UNIFIL, cursos de pós graduação em várias instituições, e ainda como presidente e vice presidente do CEAL – Clube de Engenharia e Arquitetura de Londrina, acumulando 16 anos na diretoria, e conselheiro do CREA – Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná e do CAU – Conselho de Arquitetura e Urbanismo por vários anos.

Na MAI, André Sell em conjunto com a arquiteta Juliana Freitas, arquiteta associada ao escritório, pretendem causar o primeiro impacto visual positivo ao visitante que vai passear por quase quatro mil metros quadrados de área construída, em uma mansão entre o Parque Guanabara e o Jardim Bela Suíça, na zona sul de Londrina, com a participação de outros arquitetos. Segundo os organizadores, esse é o segundo maior evento do segmento no país, e para fazer jus à credibilidade da Mostra, André vai contar contar com dezenas de parceiros, entre eles fornecedores de acabamentos e os artistas.

Carlos Sato, Juliano Fabri, José Gonçalves, Letícia Marquez, Vera Lobo, Eliane Kowalski, Deisy Favoreto, Rosa Yoko, Marinês Zanata e Mariana Schaefer vão expor seus trabalhos na Galeria André Sell. O espaço também será aberto para outras formas de arte, tanto na Terça Cultural, que a cada quinze dias vai trazer nomes consagrados da música em Londrina, com projeção nacional e internacional, quanto na Quinta Musical, com workshops com artistas e suas obras; e Adriana Pontin, diretora executiva da Excelência Mkt & Eventos dando dicas sobre Marketing. As atrações do ambiente vão incluir também um astrônomo, para falar sobre o Planetário, obra exemplar da carreira do arquiteto.

A MAI será realizada entre novembro e dezembro, na Rua Santiago, 1087, com o objetivo de ser uma grande vitrine para a arquitetura regional. Para a segunda edição de Londrina, André Sell volta a imprimir a marca da contemporaneidade, que sempre predominou em seu traçado e 38 anos de atuação. Mais do que certo conferir ao arquiteto a missão de dar as boas vindas aos visitantes, com olhares ávidos por beleza e novidades.

Serviço:

Adriana Pontin – Excelência Mkt & Eventos

Assessoria de MKT do arquiteto André Sell na MAI 2019

Dia da Reforma Protestante, o início do Luteranismo

Iniciada pelas 95 teses de Martinho Lutero, a Igreja Luterana rompeu com doutrinas católicas e conquistou 85 milhões de fiéis no mundo, 1,5 milhão no Brasil

Em 1517, quando o Brasil acabara de ser “descoberto” pelos portugueses, e aqui, só os índios habitavam, na Alemanha católica, o frade e teólogo Martinho Lutero pregou uma proposta de reforma da doutrina, conhecida como as 95 teses, na porta da Igreja do Castelo. Foi em um 31 de outubro, por isso, a data é celebrada até hoje como o início de uma nova religião.

A grande divergência com a fé católica , defendida por Lutero, era de que “a salvação vem somente pela graça, somente pela fé e somente por Cristo”, atacando duramente a venda de indulgências, ou seja, a obtenção de perdão para um determinado pecado em troca de dinheiro. Lutero e os seus seguidores foram excomungados pelo papa Leão X, sem que ele voltasse atrás, abrindo caminho para o surgimento de outras religiões cristãs pelo mundo.

A Igreja Luterana é hoje uma das principais, com 85 milhões de fiéis protestantes, que são hoje chamados “evangélicos”. No Brasil, surgiu primeiramente no Rio Grande do Sul, em 1900, bem depois da colonização portuguesa, e da conversão de indígenas ao catolicismo pelos jesuítas. Atualmente, os três Estados do Sul concentram quase 75% dos fiéis brasileiros, que somam 1,5 milhão de pessoas.

Na Escócia, 31 de outubro é feriado nacional, assim como em alguns estados da Alemanha. Mas na maioria das igrejas mundo afora, a data da celebração do Dia da Reforma é ajustada para que caia no último domingo do mês de outubro.

Será que ninguém mais lê?

Pesquisa do Banco Mundial aponta que os estudantes brasileiros demorarão mais de 260 anos para atingir a qualidade de leitura de países desenvolvidos. O que dirá dos não estudantes?

Um texto no jornal, no blog, as redes sociais, ou mesmo o contrato, a bula de um remédio, o programa musical, quem sabe o cardápio… Será que ninguém lê? Será que há no mundo mais “escritores’ que leitores? O que será dos livros então, aqueles tradicionais impressos de muitas páginas (Nossa! Tudo isso?!), caprichosamente editados e publicados com capas cheias de arte, com histórias fascinantes, ou informações relevantes, tornando a realidade mais compreensível, seja lá qual for o objetivo do leitor? O hábito da leitura é mesmo um desafio. E para não estender tanto este texto, conquistar um leitor, prender a atenção dele, se tornou tarefa árdua… Quase um peixe raro fisgado na imensidão de um oceano de ignorância e de preguiça (com o perdão das palavras fortes)!

“No início de 2018, o Banco Mundial lançou uma pesquisa apontando que os estudantes brasileiros demorarão mais de 260 anos para atingir a qualidade de leitura de países desenvolvidos. O quadro desanimador aponta um risco para o pensamento crítico dos estudantes brasileiros, pois a leitura estimula a reflexão e a interação entre ideias que fomentam discussões proveitosas para o desenvolvimento do conhecimento. Quanto menos a leitura for estimulada, menor será o pensamento crítico dos jovens, principalmente estudantes, no ambiente social.”

Esse pedaço de texto está em uma reportagem da Revista Exame, de maio de 2019, e aponta o dado preocupante, considerando apenas estudantes… O que dirá do restante da população? Outras pesquisas apontam que o jovem lê mais (talvez obrigado pela escola?) do que as pessoas na vida adulta. Independentemente se alguém leu ou não o texto acima, o fato é que para “43% dos leitores, a falta de tempo se torna um grande inimigo. Aliado a isso, tem-se o problema do desinteresse por parte dos não leitores. Por esses dois principais motivos, faz-se necessária a construção de uma leitura interessante e de fácil acesso a todas as camadas sociais”, completa a revista.

Triste, não é? Triste? O que é triste? Será que você leu até aqui? Se leu, aproveite para refletir… Em outubro, há três datas sugestivas nesse sentido (e só sabe quem lê e se informa): o Dia Nacional da Leitura (12), Dia do Professor (15) e Dia Nacional do Livro (29). Juntamos as três nesse artigo de quatro parágrafos para tentar sensibilizar, e inspirar… Ler não é uma questão de vocação ou de gosto, é um hábito mesmo. Não tem idade, é questão de interesse, de querer saber mais… E de respeito ao escritor! Se alguém escreveu algo, foi em consideração ao leitor. Imagine a bula do remédio… Então, leia até o fim, antes de tomar! Se isso puder ser uma metáfora, essa pode fazer a diferença na sua vida!

Mulheraço convida para #ElaFazHistória

Programa oficial do Facebook para mulheres empreendedoras será realizado em Londrina no dia 11 de novembro, no Teatro Mãe de Deus, com apoio do Projeto Mulheraço Brasil

Criado em 2016 para impulsionar o empreendedorismo entre as mulheres, o Programa oficial do Facebook – #ElaFazHistória – conta com parceiros como ONU e BID, além de ONGs feministas como o Think Olga. A atuação ocorre por meio de oficinas para melhorar a saúde dos negócios conduzidos por empreendedoras, a disseminação das histórias de sucesso de mulheres e até prêmio para reconhecer as que se destacam.

Para os organizadores, o programa pode ajudar no empoderamento de mulheres. Nesse contexto, abrir um negócio próprio ajuda a reduzir a desigualdade entre homens e mulheres no mercado de trabalho.

Outro braço do programa vai expor exemplos de mulheres bem sucedidas, com o propósito de criar heroínas em que outras possam se espelhar. Para isso, focarão as conquistas em vez dos atributos físicos e quebrarão estereótipos com que as biografias delas são construídas.

O Projeto Mulheraço que acontece desde 2010 com o propósito de ajudar mulheres a se tornarem uma versão melhor de si mesmas, apoia o Programa oficial do Facebook, junto com a Secretaria Municipal da Mulher. De acordo com a idealizadora, Adriana Pontin, “o #ElaFazHistória tem os mesmos objetivos que o Mulheraço, e nada melhor que unir forças, assim como o nome do Projeto Juntas Somos Mais, criado pela Secretaria Municipal da Mulher, também apoiadora do evento em Londrina.”

Serviços:

Data: 11 de novembro de 2019

Local: Teatro Mãe de Deus (av Rio de Janeiro, 700)

Inscrições gratuitas no APP Mulheraço ou no link #ElaFazHistoriaLondrina

Programação oficial:

8h Check-in e networking

9h Abertura Oficial

9h10 Painel

9h50 Intervalo e Networking

10h10 Introdução ao Facebook

11h Anuncie para as pessoas certas

11h40 Instagram para negócios

12h10 WhatsApp Business

12h25 Tira-dúvidas

12h30 Encerramento

Dia do Contato: o elo do mercado publicitário

Em cada anúncio, seja no jornal, no rádio, na tv ou internet, o contato publicitário atua como ponte entre empresas, meios de comunicação, agências e o público

O contato publicitário nasceu junto com a própria publicidade. No mundo em que o Marketing passou a ser “a alma do negócio”, o contato surgiu para vender o tempo e o espaço em veículos de comunicação para empresas fazerem publicidade. Em 21 de outubro de 1968, iniciou-se o reconhecimento da profissão, com uma primeira homenagem, um almoço. Em 1971, criou-se o Dia do Contato.

Como elo entre empresas, meios de comunicação, agências de publicidade e o público, o Contato é a base de empresas de comunicação, uma vez que o faturamento depende essencialmente de anunciantes, e também é ele que movimenta na prática todo mercado publicitário, numa relação estreita com as agências. Seja um anúncio de jornal impresso, uma inserção nos intervalos de programas de rádio ou tv, e nos tempos de hoje, a publicidade nos cantinhos de página da internet, pode ter certeza, um contato publicitário atuou ali.

E como não deixa de ser um vendedor por natureza, ele está em constante atualização para as técnicas aplicadas a vendas, e se utiliza sempre de muita criatividade, sabedoria e bom humor para atingir seus objetivos com ética e responsabilidade. A Excelência Mkt & Eventos reconhece a importância do Contato, e neste 21 de outubro, homenageia todos pela dedicação!