Dia do Trabalho: o que há de novo no mercado?

No contraponto dos 13 milhões de desempegados, é possível exaltar os quase 52 milhões de empreendedores no Brasil, um caminho para prosperar no mercado de trabalho

 

FEED-ADRIANA-ROXO02.png

O Dia do Trabalho (ou do Trabalhador) vem sendo comemorado em muitos países do mundo desde o século XIX, na data que marcou uma grande greve promovida pela classe operária, na luta por direitos. O movimento paralisou parques industriais na  Chicago de 1886. Houve forte repressão policial e uma sequência de eventos tensos nos dias seguintes. O 1º de Maio virou feriado, inclusive aqui no Brasil República e motivo de festas entre trabalhadores, fomentadas por centrais sindicais,  até hoje.

Em cada feriado, lembra-se da luta. Mas, se historicamente a classe trabalhadora brigou por melhores salários e condições de exercer a função, atualmente, a batalha de milhões é de conseguir inicialmente um emprego. Mais precisamente,  13 milhões de brasileiros, ainda fora do mercado de trabalho, buscam um espaço nesse “sol”, num índice anual que pode fechar 2019 acima de 12%, quando a média mundial é de 5%, de acordo com a Organização Internacional do Trabalho (OIT). 

Embora o cenário se apresente aparentemente negativo, existe uma outra vertente ativa, que também cresce como tendência inovadora e não está ligada apenas à necessidade de criar alternativa pela falta de uma vaga no mercado formal. O abrir o próprio negócio, o arriscar-se em mundos inicialmente desconhecidos, o encorajar-se a buscar um novo caminho, enfim, o Empreendedorismo se coloca como oportunidade real para um futuro promissor.

Um levantamento  feito em 49 países, e no Brasil,  coordenado pelo Instituto Brasileiro da Qualidade e Produtividade (IBQP), em parceria com o Sebrae, apontou o crescimento. Hoje, de cada cinco adultos, dois são empreendedores, e correspondem a quase 52 milhões de pessoas. Os jovens são em maior número. Porém, pessoas mais velhas até a terceira idade vêm despertando para essa nova possibilidade. Empreender por necessidade de sustento ainda significa o maior número de negócios com essa característica. Mas cresce também a quantidade de iniciativas postas em prática apenas por enxergar soluções e um bom nicho de mercado junto.

Ter criatividade, arrojo e espírito inovador estão entre as característica do empreendedor. E talvez nesse feriado, alguém assim esteja se fazendo a pergunta: como eu posso sair dos 13 milhões para me tornar um dos 52 milhões? Uma das respostas: Apostar em áreas que estão em alta, como agronegócio, saúde e cidades inteligentes, manter a visão no futuro para enxergar o que ninguém ainda enxergou, trilhar o conhecimento, perseverar… E sempre, sempre… Acreditar em você!

 

Publicado por

Adriana Pontin

Empreendedora, sonhadora, cristã e apaixonada pela vida. Formada em Secretariado Executivo Trilingue com enfase em ADM e Teologia. Desde 2008 realizando sonhos e projetos através da empresa Excelência Mkt & Eventos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s